domingo, 21 de fevereiro de 2010

Código de Conduta


Mesmo que não haja normas escritas, a convivência entre os "swingers" criou uma série de normas que regem este universo e o comportamento daqueles que o praticam.
Sejam educados: todos nós queremos ser tratados como pessoas, não como objectos.
A regra de ouro: tratem os demais como querem que vos tratem; 
Preparem-se: levem preservativos e uma necessaire com um par de toalhas e outros objetos pessoais, escova de dentes, por exemplo; 
Limpeza e higiene: todos sabemos que isso faz parte da educação, mas muitas pessoas esquecem os hábitos básicos; 
Não sejam insistentes: se alguém, incluindo o seu parceiro, disse não, respeite-o. Evite qualquer situação incómoda com o seu par;
Aceitem somente o que seja divertido para todos: lembrem-se que a ideia é divertirem-se e passarem um momento agradável.  
E por fim DIVIRTAM-SE!!!

Dicas para o Swing


LIBERDADE, MAS COM REGRAS 
Para que você e o seu companheiro se sintam confortáveis neste jogo de sedução é preciso que cumpram determinadas regras. Lembre-se que qualquer passo em falso pode despertar uma crise de ciúmes na sua cara-metade ou em si. 
O ‘swing’ deve trazer benefícios para a relação e não prejudicá-la. Saiba como agir.
 - Fale com o seu companheiro. Antes de entrar no ‘jogo’ converse com ele e diga-lhe exactamente o que pretende (e vice-versa), para evitar surpresas desagradáveis. Ambos devem estar preparados para ver o cônjuge a receber prazer de outra pessoa e para aceitar as suas fantasias sexuais.
 - Esteja atento ao seu parceiro. Se, durante o ‘swing’, se aperceber que ele não está a tirar prazer da experiência, desista. Lembre-se que a troca de casais é feita com a finalidade de satisfazer as necessidades de ambos os membros do casal. Não seja egoísta e respeite os sentimentos da sua cara-metade. 
- Prepare-se! O ‘swing’ é sexo seguro, pelo que deve ter preservativos consigo.
- Rejeitem com delicadeza. Se alguém tentar abordá-los e não estiverem interessados, digam-no com delicadeza. As insistências não são bem toleradas neste jogo.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O que é o Swing?!

   Desenganem-se aqueles que pensam que o swing é uma coisa apenas do nosso tempo. Practicado por inúmeros casais há varios séculos, o swing só agora adquire novos contornos porque, com a progressiva quebra de tabus, hoje já é possível, pelo menos, falar sobre ele.
  Pelas razões que todos conhecemos, ele continua escondido e reservado. No entanto, há holofotes que, de vez em quando se viram para ele, tentando pô-lo a nu, por enquanto e só com o propósito de mostrá-lo à sociedade como mais uma curiosidade "circense".
  É necessário que se explique o swing de uma forma objectiva, longe da hipocrisia e ás vezes mentira com que alguns trabalhos pseudo-jornalísticos abordam o tema.    
  O início das actividades swingers remonta ao tempo das bem conhecidas orgias romanas. Não existe consenso entre os historiadores e estudiosos, há opiniões que este comportamento liberal já existia muito antes na Grécia, outros ainda afirmam que é o comportamento natural do ser humano que ao longo do tempo foi oprimido e reprimido por regras sociais e religiosas.
  Ao longo dos séculos o swing assumiu varias formas e nomes. Durante os anos 60 chamava-se “wife-swapping”, e era controlado sobretudo pelo homem que escolhia trocar de esposa com outro homem. Nos nossos dias a escolha de parceiros é feita de uma forma activa por ambos os elementos do casal.
  Não existe consenso em relação à abrangência do termo swinger, uma corrente afirma que swing é uma vasta área de comportamentos sexuais que envolvem três ou mais pessoas, outras há que fazem a dissociação e separação e afirmam que swing é apenas uma relação (sexual ou não) entre casais. Tipicamente considera-se swing quando um casal inclui um ou mais elementos numa relação sexual (soft ou hard).
  Os diversos comportamentos entre os parceiros podem acontecer no mesmo espaço ou em lugares separados.
  Quanto aos diversos tipos de atitude podem-se separar em:

  • O uso do mesmo espaço sem troca de parceiros (Soft Swing)
  • A troca de parceiros com carícias, beijos e sexo oral (Soft Swing)
  • A troca de parceiros com penetração (Hard Swing).

  Entre as preferências sexuais dos elementos envolvidos podem existir vários tipos de comportamento vamos supor que se tratam de 2 casais:

  • Relação entre casais heterossexuais – MFMF
  • Relação entre casais com os elementos femininos bi – MFFM
  • Relação entre casais com os elementos masculinos bi – FMMF
  • Relação entre casais sendo todos os elementos bissexuais

  As duas primeiras são as mais comuns em Portugal sendo consideradas por alguns como padrão comportamental swinger.

  O swing abrange e incorpora todo o tipo de pessoas, os casais fazem a escolha de outros parceiros pelos seus próprios critérios. Existem no entanto características que tornam casais mais próximos (o mesmo grau de educação, as mesmas opções sexuais, a mesma linguagem corrente, o mesmo ambiente social, a mesma idade...), estas diferenças entre as pessoas criam algumas clivagens e fomentam o aparecimento de grupos que frequentam os mesmos ambientes ou organizam festas swinger entre eles.